Foto: SECOM

A segunda etapa, com entrega prevista para dezembro de 2014, prevê um investimento de R$ 59 milhões para construção de infraestrutura laboratorial, escola de iniciação científica e museu. Sem dúvida uma grande conquista para o Estado. O complexo está dividido em quatro andares e duas alas, com toda infraestrutura para equipamentos de pesquisa, além de biblioteca e sistema de aproveitamento de água e energia solar.

 

O chamado “Tecnocentro” foi inaugurado pelo governador Jaques Wagner, pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antônio Raupp e pelo respectivo secretário Paulo Câmera. O Parque é dedicado ao estudo, pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias em diversas áreas. Dezesseis instituições, entre elas, a Ufba (Universidade Federal da Bahia), a Uneb (Universidade do Estado da Bahia), a IBM (International Business Machines) e a Ericsson, estão instaladas no empreendimento.

O governador destacou a importância dessa iniciativa para a ciência baiana.

“Hoje não se fala em desenvolvimento sem falar em inovação e tecnologia. Éramos carentes de um espaço próprio para recepcionar empresas, instituições e laboratórios de pesquisa. Agora estamos inaugurando, e já com um grupo forte de empresas, instituições e incubadoras.  E tudo isso não aconteceria sem apoio público”, afirmou Jaques Wagner durante cerimônia de inauguração.

Jacques Wagner falou também sobre as oportunidades que se criam para os jovens baianos que estejam interessados em ingressar no ramo da pesquisa. “Foi gratificante entrar nas salas e ver os jovens usando a criatividade, que é uma característica deles, para desenvolver produtos que podem ser utilizados em todo o mundo. Esse é um espaço que vai criar oportunidades para quem quer trilhar esse caminho”, afirmou o governador.

O Ministro Marco Antônio Raupp destacou a qualidade do Parque Tecnológico da Bahia e garantiu apoio às iniciativas do Estado na área de ciência, tecnologia e inovação, como a construção da segunda etapa do parque e o desenvolvimento de pesquisas:

“Vamos continuar apoiando, porque a inovação e a capacitação tecnológica das empresas são fundamentais para a competitividade e o desenvolvimento econômico do país. Esse espaço cria um ambiente cooperativo para isso na Bahia”, enfatizou o Ministro.

A importância do Parque para o Estado

Para os promotores do evento o parque será um espaço de criatividade e agregação de valor, uma oportunidade de alterar a visão da Bahia sob a ótica agroexportadora para referência na área de tecnologia de ponta. Além disso, o Tecnocentro  passa a ser o único empreendimento desse porte em todo o Nordeste. Entre os pesquisadores do estado, a previsão é de novos tempos para a ciência baiana.

Para Alexandre Pauperio, Sócio Diretor da BRAIN,  a inauguração do Parque Tecnológico de Salvador é um marco no desenvolvimento da ciência, da tecnologia e especialmente, da inovação na Bahia.

“Após uma maturação de mais de uma década, natural em projetos dessa envergadura, o elemento mais importante do sistema estadual de inovação está funcionando e deve irradiar dinamismo aos diversos componentes, sejam instituições de pesquisa, empresas inovadoras ou centros tecnológicos, incentivando esforços do governo e da sociedade em geral”.

Pauperio acredita ainda, que a cooperação entre as empresas e as universidades, poderão ser um marco no incentivo a inovação na Bahia. “A cooperação entre as empresas e as universidades, serão um elemento concreto de incentivo a inovação. Desejo que o Parque Tecnológico de Salvador seja, de fato, um incentivador de carreiras científicas dos jovens, de novas ideias que gerem desenvolvimento para o Brasil e de inovações de ruptura no cenário mundial”, finaliza.

Veja a  galeria de imagens relacionadas ao evento:

BRAIN – Brasil Inovação